Sem sorrisinho porque esse foi um dos lugares onde eu tive a maior aula de história (relacionada a segunda guerra mundial) da minha vida. A história não é bonita, o lugar não é bonito, mas ensina!

Ensina sobre o poder de influência que a mídia e opinião comum exerce sobre nós, ensina que o ser humano é capaz de TUDO para defender uma ideologia, ensina sobre o quão anestesiados os sentimentos que nos tornam humanos, podem se tornar frente a tamanha atrocidade.

E nos ensina que é importante existir diferenças.

N√£o existe ‚Äúpadr√£o ideal‚ÄĚ, nacionalidade perfeita, ideologia infal√≠vel, cren√ßa adequada.

Fomos feitos diferentes, para aceitarmos as diferenças.

Ali ao pé de destroços do muro de Berlim aprendi que nunca existirá uma sociedade ideal, com pilares incontestáveis. E que as pessoas não precisam “saltar o muro“ para serem respeitadas dentro das suas peculiaridades.

Se você não aceita diferenças numa sociedade marcada com histórias tão cruéis, o que garante que faria diferente se estivesse lá?